Fotografia: lembranças ou custo?

Hoje é muito comum grupos – e temos milhares deles – no facebook, especificamente voltados às mulheres, onde se anuncia de tudo. E, naturalmente, anunciam-se serviços de fotografia.

Certa vez fui indicado por uma amiga, e a possível cliente veio conversar comigo. A primeira frase dela foi “eu não pago mais de 50 centavos por clique, se o seu orçamento for além disso, nem precisa me responder”.

Eu agradeci o contato e, como solicitado, não respondi. E agi assim porque uma pessoa assim não deseja ter lembranças de seu evento. Ela simplesmente quer “status”, como quem diz “contratei um fotógrafo, terei fotos do meu evento”.

Se você me permite a ousadia, vamos pensar um pouquinho sobre a situação desta pessoa – e que pode ser a sua situação também.

Vamos imaginar que seja o aniversário de um ano de seu filho.

Normalmente as pessoas fazem uma festa linda para esta comemoração.

Você se esmera nos detalhes. Se preocupa com a decoração, com o bolo, com a mesa de doces e salgados, se preocupa com a roupa dos convidados, entre vários e vários detalhes. E normalmente, numa situação assim, se esmera nos mínimos detalhes para que tudo saia perfeito.

Chega o grande dia. Você está nervosa e ansiosa para que tudo ocorra bem. E não é preciso muita sorte para que tudo seja maravilhoso, lindo, espetacular.

A festa transcorre sem problemas. Cantam o “parabéns”, corta-se o bolo, os convidados se animam. E logo eles vão embora.

Assim que o último convidado vai embora, você olha pra trás e vê o que sobrou da festa. Normalmente, em festas assim, sobra um pedaço de bolo, alguns docinhos e salgados, um pouco das bebidas.

O bolo e os docinhos ainda duram 2 dias na geladeira, isso quando alguém deseja comer isto depois de tanto tempo. Os salgadinhos, um dia. Dependendo da bebida nem é possível recuperar depois que ela é gelada. A decoração ou é devolvida, caso seja alugada, ou é guardada, quando não se estraga.

O que sobra da festa? Nada. Uma semana depois e ninguém mais vai ter uma recordação sequer da festa. A não ser que você tenha feito fotos do evento.

“ah, mas eu tiro do meu celular”. “ah, eu peço pro meu cunhado que tem um celular bom bater as fotos pra mim”.

Sem entrar nos detalhes técnicos, eu lhe digo que, neste caso, você não terá fotos. Terá um registro fotográfico, apenas.

Me perdoe a franqueza, mas, você compra pão em uma farmácia? Quando você está doente, você vai até um chaveiro? Você procura um encanador quando sua conta bancária está com problemas?

É claro que não, estas situações são impossíveis, além de absurdas. Pão é na padaria – ou panificadora, dependendo de qual lugar do Brasil você é. Doença? Médico. E problema com dinheiro é no banco, naturalmente.

E você estará, no dia da sua festa, preocupada com todos os detalhes da festa, em recepcionar seus convidados, em ver se está tudo certinho, e ainda vai tirar fotos? No mínimo você vai perder os principais momentos de sua festa – ou vai deixar de fotografar ou de vivenciar. Aí o cunhado com o celular bom não vai, ou se embriaga, ou simplesmente não faz as fotos que você gostaria. Ou acontece algum problema com o seu aparelho e você perde as imagens. Ou acontece alguma coisa e só sobram as fotos do celular da tia do primo do seu marido, que fez as fotos do fundo do salão, todas elas escuras demais.

Se você já contratou o buffet, a decoração, alugou roupa, cuidou de todos os detalhes – e que são itens que desparecerão ao final da sua festa – porque não se preocupar com as lembranças? As fotos serão as únicas coisas que restarão do seu evento. O profissional de fotografia investe muito em equipamento e estudo para oferecer a você toda a qualidade e segurança de um serviço extremamente bem feito. Aí sim você terá fotografias, e não um simples registro fotográfico. Você poderá vivenciar a sua festa, tendo a certeza de que haverá uma pessoa cuidando das lembranças. E com segurança de que as imagens serão entregues a você, quer seja em meio digital ou em meio impresso.

“ah, mas, é caro”.

Antes de pensar desta maneira, peça um orçamento com o profissional de sua escolha. Converse com ele, explique o que deseja, o que você tem em mente. Ao contatar o profissional, ele irá marcar uma reunião com você, irá lhe ouvir, irá lhe propor opções e formas de pagamento. No final das contas, não é caro como a maioria das pessoas pensa. Além do mais, quanto vale uma lembrança? Qual o valor de folhear um álbum e sentir as lembranças de um dia especial, com imagens bem feitas e de acordo com a qualidade da festa que você ofereceu aos seus convidados?

Antes de finalizar, me permita lhe dizer uma última coisa: sim, existem “profissionais” que cobram barato. Alguns – poucos – estão começando e querendo ganhar mercado, e, caso você tenha sorte de encontrar um destes, você terá um trabalho “ok” no final das contas. Não será um excelente trabalho – ainda falta experiência, conhecimento, equipamento – mas não será um trabalho ruim. Mas, não aposte nisso. A grande maioria não sabe o que faz e as chances de você obter fotos como as da tia do primo do seu marido são grandes. Bons profissionais cobram um valor justo pelo seu trabalho, sendo que a qualidade deles é a melhor possível. Sabe o ditado “o barato sai caro”? Este ditado serve para a vida – e para a fotografia também.

Um abraço!